Classificação dos fatores que interferem na cobertura vacinal das gestantes de alto risco no município de Colatina, ES

Autores

Palavras-chave:

Cuidado Pré-Natal, Imunização, Saúde da Mulher

Resumo

Introdução: A vacinação durante a gestação objetiva proteger não somente mãe, mas também o bebê, sendo uma intervenção desenvolvida durante o pré-natal. A gestação se torna uma oportunidade, possibilitando a atualização do calendário vacinal, a importância da imunização deve ser enfatizada durante todo o atendimento a gestante. O objetivo desta pesquisa foi classificar os fatores que dificultam a cobertura vacinal das gestantes de alto risco atendidas na Casa da Mulher de Colatina, ES.

Métodos: Trata-se de um estudo exploratório, descritivo e de abordagem qualitativa. Os dados foram obtidos por meio da aplicação de entrevista semiestruturada, com quarenta e oito (48) gestantes atendidas no serviço de alto risco. A análise dos dados foi baseada no discurso do sujeito coletivo (DSC) de Lefevre, com foco na modalidade temática, utilizando o software DSCSoft, do laboratório Tolteca.

Resultados: As participantes apresentam a falta de informação e o desinteresse na vacinação, como um dos principais fatores que dificultam a vacinação efetiva, deixando somente para os profissionais de saúde a responsabilidade da imunização da mulher. Outros fatores também interferiram como a distância entre a residência da gestante e a unidade de vacinação, desorganização da vida cotidiana e familiar, carências financeiras.

Conclusão: A caderneta de vacinação é um instrumento para vigilância e promoção da saúde materna e fetal, todavia, a sua utilização deve ser conhecida e valorizada tanto por profissionais quanto por gestantes, a fim de reduzir o surgimento de doenças imunopreveníveis, garantindo uma melhor cobertura vacinal, diante da singularidade dessa clientela, propiciando gerenciamento de cuidado diligente.

Publicado

2020-12-15