Estudo epidemiológico da sífilis na gestação e congênita em Manhuaçu, MG

Autores

Palavras-chave:

Sífilis Congênita, Prevenção, Atenção Primária à Saúde

Resumo

Introdução: A sífilis gestacional é uma infecção sexualmente transmissível (IST) de notificação compulsória. É um grave problema de saúde pública, visto que se não tratada, pode ter desfechos graves, principalmente quando associada à transmissão vertical. Sabendo da importância e da alta prevalência da sífilis na gestação, o presente estudo tem como finalidade descrever o perfil epidemiológico dos casos notificados de sífilis gestacional e congênita no município de Manhuaçu, MG, Brasil, no período de 2009 a 2019.

Métodos: Trata-se de um estudo observacional descritivo, que analisou o perfil epidemiológico, com levantamento e detalhamento dos casos notificados de sífilis gestacional e congênita no município através do DATASUS.

Resultados: A frequência da sífilis apresentou tendência crescente no município. Sócio-demograficamente, a faixa etária de 20 a 39, com vida sexual ativa e baixa escolaridade, foi a mais suscetível ao acometimento pela IST.

Conclusão: Visto o resultado da análise é imprescindível que a Atenção Primária encontre formas para prevenção, controle, diagnóstico e tratamento dos casos de sífilis, evitando transmissão vertical.

 

Resultados: A frequência da sífilis apresentou tendência crescente no município. Socio demograficamente, a faixa etária de 20 a 39, com vida sexual ativa e baixa escolaridade, foi a mais suscetível ao acometimento pela IST.

Conclusão: Visto o resultado da análise é imprescindível que a Atenção Primária encontre formas para prevenção, controle, diagnóstico e tratamento dos casos de sífilis, evitando transmissão vertical.

Publicado

2020-12-15