Recrutamento da população de vasectomizados e pré-candidatos à vasectomia na região de Vila Velha, ES

Autores

Palavras-chave:

vasectomia; protaminas; heparina; conscientização

Resumo

Introdução: Protaminas, proteínas extraídas da vesícula seminal do salmão, se isoladas têm efeito anticoagulante. Porém, administrada com heparina, as atividades de ambas são neutralizadas, assim, reverte os efeitos da heparina em hemorragias graves. Ressalta-se como risco, o grupo dos vasectomizados pela probabilidade de reação cruzada imunológica entre a protamina do salmão e a produzida em vasectomizados levando à formação de anticorpos anti-protamina e consequente risco de vida por anafilaxia. Defende-se como alternativa para reversão da heparina o uso do tempo de coagulação ativado (TCA) que monitora o efeito da droga durante cirurgias. Desta forma, o objetivo deste trabalho foi pesquisar o número de homens que desejam realizar vasectomia e os já vasectomizados, investigando conscientização prévia ou não sobre seus riscos e benefícios. Além de alertá-los sobre perigos dessa associação e apresentar o uso do TCA como alternativa.

Métodos: Revisão bibliográfica nas bases de dados Scielo, Pubmed, Medline. Posteriormente, coletaram-se dados de pacientes de 6 Unidades Básicas de Saúde de Vila Velha, ES, e analisou-se pelo Excel.

Resultados: Entrevistaram-se 110 homens, desses, 75 pretendem realizar vasectomia e 33 eram vasectomizados. Apenas 9 vasectomizados foram previamente conscientizados sobre os riscos da cirurgia.

Conclusão: É fundamental informar sobre a utilização da protamina e seus efeitos adversos na reversão da heparinização plena em pacientes vasectomizados, ambicionando evitar anafilaxia que evolui para óbito. Assim, é necessário conscientizar os que desejam ou os vasectomizados e os médicos sobre os riscos envolvidos nessa associação, além de informar sobre o TCA como alternativa ao uso da protamina.

Biografia do Autor

Camila Cristello Gardoni, Universidade Vila Velha (UVV). Vila Velha, ES

https://orcid.org/0000-0003-3386-0827

Izabella Soares Medeiros, Universidade Vila Velha (UVV). Vila Velha, ES

https://orcid.org/0000-0001-5383-0399

Raiana Barcellos Claudio, Universidade Vila Velha (UVV). Vila Velha, ES

https://orcid.org/0000-0003-2115-3260

Raquel Bonicenha, Universidade Vila Velha (UVV). Vila Velha, ES

https://orcid.org/0000-0002-4249-5879

Thayná Andreatta, Universidade Vila Velha (UVV). Vila Velha, ES

https://orcid.org/0000-0003-0924-862X

Kiscila Araujo Fernandes, Universidade Vila Velha (UVV). Vila Velha, ES

https://orcid.org/0000-0002-5254-6318

Letícia Braun Fonseca, Universidade Vila Velha (UVV). Vila Velha, ES

https://orcid.org/0000-0003-2977-7131

José Roberto Coutinho Nogueira, Universidade Vila Velha (UVV). Vila Velha, ES

orcid.org/0000-0003-3361.9961

Publicado

2020-12-15