Qualidade de vida e saúde mental de pacientes HIV positivo

uma revisão integrativa de literatura

Autores

  • Marcos Campos Pontara Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Centro Universitário Norte do Espírito Santo (CEUNES). São Mateus, ES
  • Andressa Moura do Nascimento Centro Universitário do Espírito Santo (UNESC). Colatina, ES
  • Luciano Antonio Rodrigues Centro Universitário do Espírito Santo (UNESC). Colatina, ES https://orcid.org/0000-0001-5758-456X
  • Adriene de Freitas Moreno Rodrigues Centro Universitário do Espírito Santo (UNESC). Colatina, ES https://orcid.org/0000-0001-5028-3262
  • Greice Kelly Palmeira Campos Centro Universitário do Espírito Santo (UNESC). Colatina, ES https://orcid.org/0000-0002-5169-5282

Palavras-chave:

Qualidade de Vida, HIV, Saúde Mental, Soropositividade para HIV

Resumo

Introdução: A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (SIDA/AIDS) é uma doença que debilita o sistema imunológico, causada pelo vírus HIV. Quando a epidemia surgiu, a principal preocupação era a iminência de morte logo após o diagnóstico. Destarte, a presença do vírus como diagnóstico, gera agravos significativos e comprometedores da saúde mental dos sujeitos infectados. Essa pesquisa tem por objetivo evidenciar através das literaturas publicadas, as melhorias para a qualidade de vida e saúde mental dos indivíduos portadores do vírus HIV, bem como a relação da qualidade de vida e a saúde mental de pacientes HIV positivo.

Métodos: Tratou-se de um estudo descritivo, de revisão integrativa de literatura, com abordagem qualitativa. Foram utilizadas as bases de dados MedLine, Scielo, BVEnf e Lilacs. Os descritores foram: qualidade de vida, HIV, saúde mental e soropositividade para HIV. Foram encontrados 77 (setenta e sete) artigos, sendo que dezoito (18) artigos responderam adequadamente o problema de pesquisa.

Resultados: Ao analisar os resultados encontrados, observa-se que os desafios enfrentados pelos portadores de HIV/AIDS não se resumem ao fato de estarem infectados pelo vírus. O preconceito por parte da população em geral provoca grande sofrimento psicossocial no indivíduo, afetando sua saúde mental e reduzindo a qualidade de vida.

Conclusão: Neste contexto, faz-se necessário a publicação de estudos relacionados à saúde mental, olhar além dos prejuízos físicos da doença e criar estratégias efetivas para o enfrentamento da síndrome. Também é preciso capacitar os profissionais para que ofereçam o apoio psicossocioemocional que estes pacientes necessitam.

Downloads

Publicado

2020-12-15