Editorial da comissão científica

Palavras-chave: Medicina de Família e Comunidade

Resumo

Em um artigo clássico, Ian McWhinney propôs quatro critérios para um assunto ser qualificado como uma disciplina: um campo unificado de ação; um corpo definido de conhecimento; um treinamento intelectualmente rigoroso; e uma área ativa de pesquisa.1 Se antes a pesquisa em medicina e família e comunidade no Espírito Santo carecia de um espaço dedicado à sua divulgação, essa carência foi sanada com a realização do I Congresso Capixaba de Medicina de Família e Comunidade.

Além de mesas redondas, simpósios de atualização clínica e oficinas, o Congresso contou com a trabalhos científicos e relatos de caso. A organização das atividades seguiu duas diretrizes para maximizar o impacto desses trabalhos e relatos. Em primeiro lugar, eles foram apresentados na forma de comunicação oral coordenada, em vez de pôster; em segundo, foram agendados preferencialmente para as mesmas salas onde em seguida ocorreriam atividades tematicamente correlatas.

As submissões de trabalhos científicos e relatos de caso foram selecionadas com rigor. Além de atender às recomendações do International Committee of Medical Journal Editors (exceto pela admissão de trabalhos já publicados), as submissões precisavam ser aprovadas após uma avaliação por dois ou mais pareceristas ad hoc. Essa avaliação foi utilizada ainda como critério para a seleção dos trabalhos premiados.2

Coroando os esforços dos participantes do congresso, dos pareceristas e da comissão científica, estes Anais do Congresso Capixaba de Medicina de Família e Comunidade consolidam a criação desse espaço de divulgação da pesquisa local em medicina de família e comunidade. Graças à publicação dos Anais, os trabalhos científicos e relatos de caso apresentados no Congresso poderão ser lidos e citados por qualquer um, mesmo que não tenha participado do Congresso.

Esperamos que o I Congresso Capixaba de Medicina de Família e Comunidade seja um marco na história da especialidade no Espírito Santo. Não como o ápice, mas sim como um degrau decisivo no desenvolvimento da medicina de família e comunidade no estado. Até o próximo Congresso!

Biografia do Autor

Leonardo Ferreira Fontenelle, Universidade Vila Velha

Médico de família e comunidade (HCFMRP/USP) e mestre em epidemiologia (FMRP/USP), cursando doutorado em epidemiologa (FM/UFPel).

Publicado
2017-10-02