Trabalho na estratégia Saúde da Família entre médicos recém-formados da EMESCAM

  • Luisa Carvalho Benedito Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória
  • Luiza Gonçalves Fraga Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória
  • Renata Sartorio Silva Rangel Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória
  • Marcelo Alves Ribeiro Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória
  • Leonardo Ferreira Fontenelle Universidade Vila Velha http://orcid.org/0000-0003-4064-433X
Palavras-chave: Educação de Graduação em Medicina, Estratégia Saúde da Família, Internato e Residência

Resumo

  Introdução: Na maioria dos municípios do Brasil, a especialização em medicina de família e comunidade não é requerida para que o médico trabalhe na estratégia Saúde da Família (ESF). O objetivo deste estudo foi estimar a prevalência de trabalho na ESF entre médicos recentemente formados pela Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória (EMESCAM). Métodos: Pesquisou-se no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES) por médicos formados pela EMESCAM em 2011 e 2012, que ainda não tinham tido tempo de concluir residência médica, e descreveram-se a prevalência e as características do trabalho desses médicos em equipes da ESF. Resultados: Dos 248 médicos, 36 (14,5%) estavam cadastrados em alguma equipe de Saúde da Família. Destes, 20 (55,6%) eram recebiam bolsas de estudo em vez de salários (marcando-os como inscritos no programa Mais Médicos ou PROVAB), e 11 (30,6%) tinham contrato temporário em vez de por tempo indeterminado. Conclusões: É necessário abordar assuntos específicos de atenção primária à saúde na graduação em medicina, e desenvolver políticas de recursos humanos em saúde que garantam a qualificação dos médicos da ESF.

Biografia do Autor

Leonardo Ferreira Fontenelle, Universidade Vila Velha

Médico de família e comunidade (HCFMRP/USP) e mestre em epidemiologia (FMRP/USP), cursando doutorado em epidemiologa (FM/UFPel).

Publicado
2017-10-02